Mesa de Debate: O Cinema na Era do Meme

WhatsApp Image 2017-10-03 at 17.12.37.jpeg

A Imagem (da imagem) da imagem. É possível encontrar a verdade na imagem cinematográfica apesar do bombardeamento de ressignificações infinitas no novo meme-milênio? É preciso pensar em uma nova educação do olhar?

Participantes

Wellington Sari (mediador)
Cineasta e crítico de cinema, é um dos fundadores da produtora O Quadro. Entre os vários curtas-metragens que dirigiu se destacam Lavanderia Shermer, Romance Edmottês, Monique ao Sol, Surf Surf, Super Blue e Coração Azul. Escreveu e produziu Bye Bye Jaqueline, o primeiro longa da produtora, a ser lançado em breve. Foi um dos membros da revista Contracampo (www.contracampo.com.br) e, atualmente, é redator da revista Interlúdio (www.revistainterludio.com.br). Já realizou uma série de palestras e oficinas ligadas à crítica de cinema, ao longo dos anos.

Letícia Weber Jarek
Formada em Cinema e Audiovisual pela Universidade do Estado do  Paraná, coordena o Cineclube do Coletivo Atalante em parceria com a Cinemateca de Curitiba. É também editora do blog de cinema Vestido sem costura e colaborou nas seguintes publicações: Cinema(s) de horrorHatari – revista de cinema e na revista do Núcleo de Crítica Cinematográfica.

Alexandre Rafael Garcia
Produtor e pesquisador de cinema. Professor na Fap/Unespar, Fae e Colégio Medianeira, trabalhando com modos alternativos de produção de narrativas ficcionais. Suas pesquisas são centradas em questões de educação, juventude, estética e modos de encenação.

Rodolfo Stancki
Jornalista, consome filmes de horror desde criança, com predileção por tramas com monstros e efeitos visuais práticos. É autor da dissertação “A Representação Social do Cinema de Horror”, defendida na UEPG. Atualmente, pesquisa o gênero cinematográfico no doutorado em Tecnologia, na UTFPR, e leciona na Escola de Comunicação do UniBrasil Centro Universitário.